post#175.jpg

O profissional quer mais que receber um bom salário pelo trabalho que faz. É claro que ele é essencial, afinal todos têm suas necessidades e compromissos. Mas, reconhecimento, possibilidade de crescimento na empresa, de investir nos estudos e ter tempo para o convívio familiar são importantes. Esses desejos caracterizam o conceito de salário emocional, que hoje no ambiente corporativo ganhou força e influencia a decisão de um profissional em aceitar ou rejeitar um trabalho.

Já se foi o tempo que o pagamento do salário bastava como remuneração por um trabalho. Essa relação ganhou novo sentido, principalmente para as novas gerações de profissionais, em particular os millenials, que valorizam os benefícios para o crescimento de suas carreiras associado ao bem-estar, à qualidade de vida e à satisfação de realizar aquele trabalho e fazer parte da empresa.

O conceito do salário emocional está ligado ao equilíbrio entre vida pessoal e profissional, permitindo que as pessoas tenham tempo adequado para cumprir suas tarefas e compromissos profissionais como e quando a empresa espera, e resolver seus assuntos pessoais.

Para Daniel Olaya, diretor para a Colômbia de Compensa Capital Humano, a conciliação é presente no salário emocional. “Há três esferas que impactam as decisões e a produtividade das pessoas: a pessoal, a familiar e a organizacional, o objetivo é balanceá-las. Quer isto dizer, que a pessoa seja reconhecida não somente como um trabalhador, senão como um ser humano com uma família que necessita espaços e tempos para atender cada um desses três aspetos de sua vida”, detalha Olaya.

Para estabelecer um programa de salário emocional, a empresa pode adotar diferentes formas, indicando que essas medidas são para reconhecer o esforço das pessoas e possibilitar que otimizem seu desempenho e equilibrem suas necessidades pessoais e profissionais. Veja algumas práticas que fazem parte da estrutura de um salário emocional:

  1. Benefícios complementares:

Agrega valor, na visão dos colaboradores, eles serem premiados por bom desempenho com bolsas de estudo, seguros de vida, empréstimos de automóveis e habitacionais, viagens e valores para alimentação e transporte. Esses benefícios podem ser descontados do salário ou adicionados à remuneração convencional.

  1. Formação:

Investir na formação dos colaboradores é rentável quando bem aproveitada tanto pelos colaboradores quanto pela organização. Os novos conhecimentos adquiridos pelos colaboradores devem ser aplicados no trabalho em benefício da empresa, alavancando o desempenho, a produtividade e aumentando o compromisso com a equipe da qual fazem parte. Oferecer formação em soft skills e, até mesmo, em outros idiomas, gera maior comprometimento dos profissionais.

  1. Promoções:

É papel da empresa motivar seus colaboradores. Promovê-los é uma das maneiras. Mas, para isso, precisa criar planos para que trilhem um caminho dentro da empresa até chegarem a ocupar cargos estratégicos e executivos, identificando se têm esse perfil. A promoção é um meio para melhorar a produtividade, estabelecer liderança, o trabalho em equipe, a organização do planejamento e a sua execução com foco em resultados.

  1. Home Office:

Um outro formato bem aceito pelos colaboradores que almejam o salário emocional é o trabalho home office, porque a empresa e os profissionais economizam com os deslocamentos, equipamentos de trabalho, mobiliário e manutenção. Só que esse formato exige planejamento e maturidade profissional, além de disciplina e a adequada organização do tempo para a execução das tarefas, para que se obtenha resultado positivo. Geralmente, os colaboradores ficam mais motivados e comprometidos ao poder trabalhar no seu ambiente familiar.

  1. Eventos de integração:

Promover a integração entre os companheiros de trabalho é a melhor forma de otimizar o clima organizacional da empresa e de criar espaços para compartir fora do escritório, passar tempo de qualidade e aumentar a satisfação e o compromisso face à empresa. Celebrações como o dia da mulher, da família, da mãe, o Natal, etc., são a oportunidade para melhorar as relações entre companheiros, criar um clima relaxado e melhorar a produtividade da empresa.

A empresa deve promover a integração dos colaboradores visando estabelecer um bom clima organizacional e espaços de convivência, além do escritório, aumentando assim a satisfação e o envolvimento deles com a empresa.  Para criar um clima de relaxamento, melhorar a relação entre os colaboradores e aumentar a produtividade, a empresa pode promover celebrações como o dia das mães, dos pais, das crianças, o Natal, por exemplo.

Com essas práticas, a empresa engaja seus colaboradores com seus objetivos,  consegue motivá-los e dá condições para o aumento da produtividade. O salário emocional deve ser reconhecido como uma prática inovadora que atrai, retém e potencializa o talento humano, refletindo o diferencial da empresa, o que a torna mais competitiva no mercado em que atua.  

Gamification @Fábrica de Cursos