10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo01

Carros com tecnologia de condução automática, inteligência artificial e computação quântica deixaram de ser fantasias de autores de ficção científica ou diretores de Hollywood. Essa é a realidade do nosso futuro e o futuro está quase chegando!

O Fórum Econômico Mundial afirma que estamos à beira da 4ª Revolução Industrial (ou Indústria 4.0), e você não precisa ter assistido aos filmes Blade Runner, de Ridley Scott, ou Inteligência Artificial, de Steven Spielberg, para saber que a próxima revolução mudará tudo.

10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo04Próxima Revolução Industrial - Fórum Econômico Mundial

 

A Indústria 4.0 será marcada por avanços à velocidade da luz e extraordinárias mudanças, pois reunirá evoluções em tecnologias digitais, físicas e biológicas. Entre as indústrias destinadas a revolucionar o futuro e gerar bilhões, ou talvez trilhões, para a economia global estão a de genomas, inteligência artificial e realidade virtual.

Por isso, ao olharmos para o futuro, nós fazemos a seguinte pergunta: quais habilidades precisaremos ter para prosperar nesse admirável mundo novo?

Depois de realizar uma pesquisa com os principais executivos de RH em algumas empresas líderes mundiais, o Fórum Econômico Mundial divulgou o relatório O Futuro dos Empregos apresentando as 10 principais habilidades que você precisará ter em 2020.

Então aperte o cinto no Delorean 10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo07  e acelere esse capacitor de fluxo. Vamos ver o arsenal de habilidades que o futuro exigirá de nós!

10. Flexibilidade cognitiva

Flexibilidade cognitiva resume-se basicamente a ser um ginasta mental. Se você pensar no seu cérebro como um pódio para um ginasta e imaginar todos os diferentes aparatos (por exemplo, os anéis, as barras paralelas e a trave olímpica) como as diversas formas de pensar (por exemplo, pensamento criativo, matemático, crítico etc.), a flexibilidade cognitiva refere-se ao quão rápida e facilmente você pode se balançar, pular e girar para frente e para trás entre os diferentes sistemas de pensamento.

Quanto mais flexível você for, mais facilidade terá para ver novos padrões e fazer associações únicas entre diferentes ideias, o que lança uma nova luz sobre o conceito de ter uma mente “ágil”!

Mas então como flexionamos nossos músculos cognitivos? Aprendendo coisas novas e, em especial, aprendendo novas formas de pensar. Se você “não é do tipo criativo”, vá à luta para aprender um instrumento musical, começar a dançar hip-hop ou experimentar uma aula de arte. E se sua alma é criativa, mas sua visão fica turva quando ouve palavras como “mercados financeiros” ou “a economia”, faça com que seja sua missão ler o The Economist ou o The American Economic Review.

Amplie seus interesses, faça leituras fora de sua zona de conforto e conviva com pessoas que desafiem suas visões de mundo. Sua carreira (e seu cérebro) vai agradecer por isso.

9. Negociação

10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo02Com os robôs se infiltrando na força de trabalho e a automação de tarefas sendo sinalizada como cada vez mais comum, no futuro, as habilidades sociais serão mais importantes do que nunca.

Por quê? Porque somos muito melhores em interação social e negociações do que os robôs (pelo menos por enquanto). Em breve, será necessário que até mesmo pessoas em profissões puramente técnicas apresentem habilidades interpessoais mais fortes. E ser capaz de negociar com seus colegas, gerentes, clientes e equipes estará no topo da lista das habilidades desejáveis.

Para descobrir como se tornar um melhor negociador, aqui estão cinco coisas que os grandes negociadores sempre fazem.

8. Orientação a serviços

Definida como a capacidade de “procurar ativamente formas de ajudar as pessoas”, ter grande competência de orientação a serviços é colocar o holofote nos consumidores e antecipar quais serão suas necessidades no futuro.

Conforme aponta o relatório do FEM, os negócios nos setores de energia, serviços financeiros e TI estão “sendo cada vez mais confrontados com novas preocupações de consumidores em relação a questões como pegadas de carbono, segurança alimentar, padrões trabalhistas e privacidade”.

Sob a perspectiva das habilidades, isso significa que as empresas “precisarão aprender a antecipar mais rapidamente os novos valores dos consumidores, traduzi-los em ofertas de produtos e se tornar cada vez mais informadas acerca dos processos envolvidos na satisfação dessas demandas”.

Dominar a orientação a serviços envolve entrar nas mentes dos usuários e pensar sobre o que eles valorizam, temem e não gostam; bem como desenvolver novos produtos ou adaptar serviços para preparar sua empresa ou marca para o futuro.

7. Julgamento e tomada de decisão

A capacidade para fazer julgamentos com discernimento e a habilidade para tomar decisões firmes devem avançar na lista e conquistar o sétimo lugar até 2020.

Isso não surpreende, considerando o grande volume de dados que as organizações podem acumular atualmente e a crescente necessidade por funcionários capazes de filtrar os números, proporcionar percepções importantes e usar o grande banco de dados para comunicar estratégias e decisões de negócios.10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo06

Como você pode melhorar suas habilidades de tomada de decisões imediatamente? Comece a se sentir bem mais confiante com os dados. Primeiro, descubra quais perguntas ou problemas você deseja solucionar; em seguida, reserve tempo para explorar novas ferramentas de dados e tecnologias que possam ajudá-lo a coletar essas informações. Ao conquistar essas duas coisas, você desejará tornar o Excel seu melhor amigo, aprender como manipular os dados e extrair deles tudo o que valer a pena!

6. Inteligência emocional

A resposta esmagadora recebida de executivos de RH e estrategistas de empresas foi que, no que diz respeito a qualificações desejáveis, “de forma geral, as habilidades sociais — como persuasão, inteligência emocional e habilidade para ensinar os outros — serão as mais requisitadas em todas as indústrias” do futuro.

Coautor de Emotional Intelligence 2.0, Travis Bradberry explica que a inteligência emocional “é o outro tipo de inteligência”. É aquele “algo mais” intangível que nos ajuda a sintonizar o caleidoscópio das emoções humanas e que pondera o quanto somos capazes de adaptar nosso comportamento de acordo com o humor de um colega, parceiro, membro da família ou mesmo nossos próprios sentimentos internos.

A inteligência emocional literalmente informa cada interação que temos. Como Bradberry explica em um artigo para a Forbes, “ela afeta como administramos comportamentos, navegamos nas complexidades sociais e tomamos decisões pessoais capazes de gerar resultados positivos”.

É uma habilidade social particularmente importante para gerentes e líderes, e você ficará feliz em saber que pode impulsionar seu QE (quociente emocional)!

5. Coordenação com os outros

As habilidades sociais dominam a lista novamente no número 5 e apontam para a forte tendência de as empresas colocarem mais ênfase em habilidades interpessoais marcantes e funcionários que se relacionam bem com os outros.

A colaboração é essencial em qualquer ambiente de trabalho e nisso, felizmente, os humanos ainda são melhores do que os robôs!

A interação humana no local de trabalho envolve produção em equipe, de forma que os trabalhadores aproveitem os pontos fortes uns dos outros e se adaptem de forma flexível às mudanças de circunstâncias”, explica o relatório do FEM.Essa interação não rotineira é o cerne da vantagem humana em relação às máquinas”.

Interagir com os outros envolve excelente capacidade de comunicação, uma percepção dos pontos fortes e fracos de outras pessoas, bem como ser capaz de trabalhar com uma variedade de personalidades diferentes.

4. Gestão de pessoas

Independentemente de quantos empregos se tornem automatizados e do quão avançada fique a inteligência artificial, os funcionários sempre serão o recurso mais valioso de uma empresa. Seres humanos são mais criativos, sabem compreender melhor uns aos outros e são capazes de complementar as ideias e a energia uns dos outros. Mas por sermos humanos, também ficamos doentes, desmotivados e distraídos.

Por isso, é vital que, no futuro, gerentes e líderes saibam motivar suas equipes, maximizar sua produtividade e atender às suas necessidades.

Ser um grande gerente tem muito a ver com inteligência emocional, saber delegar e desenvolver seu próprio estilo de gerenciamento.

3. Criatividade

10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo03Como escritor sênior do Fórum Econômico Mundial, Alex Gray explica: “Com a avalanche de novos produtos, tecnologias e formas de trabalho, os funcionários terão de se tornar mais criativos para se beneficiar de tais mudanças”.

Os robôs podem nos ajudar a chegar aonde queremos nos tornar mais rápidos, mas eles não podem ser tão criativos quanto os humanos (ainda)”.

É possível prever que a criatividade se torne uma habilidade fundamental no futuro, portanto, antes de se considerar uma pessoa “não criativa”, lembre-se de que a criatividade não é de domínio exclusivo de pessoas artísticas, como músicos e escritores.

Se você consegue conectar os pontos utilizando informações aparentemente díspares e unir todas as ideias para apresentar algo “novo”, então você é uma pessoa criativa.

O problema do processo criativo é sua natureza inerente de "não processo". Simplesmente não existe uma maneira única de resolver algo de forma criativa. Ao afirmar isso, existem maneiras de liberar o lado criativo que existe em você, exercitando regularmente a curiosidade e a autoexpressão.

Algumas outras coisas que você pode fazer incluem dar a si mesmo tempo para deixar seus pensamentos vagarem (é por isso que algumas de nossas melhores ideias surgem no chuveiro!), criar o hábito de sentar e produzir um trabalho quando você está com sono (porque quando seu cérebro está menos focado, fica menos inibido) e usar suas limitações como ponto de partida para a criatividade!

2. Pensamento crítico

De acordo com a pesquisa, ser uma pessoa que pensa de forma crítica ainda será uma qualificação valorizada nos próximos quatro anos. Mas o que o pensamento crítico realmente envolve?

A resposta é: lógica e raciocínio. O pensamento crítico envolve a capacidade de usar a lógica e o raciocínio para analisar uma questão ou problema, considerar várias soluções para o problema e avaliar os prós e contras de cada abordagem.

Enquanto hoje o supercomputador da IBM, Watson, e seu companheiro especialista em questões jurídicas, ROSS, estão fazendo frente aos humanos no departamento de pensamento crítico, em 2020, as organizações verão os pensadores críticos como altamente empregáveis e bem-vindos em qualquer equipe.

Experimente as estratégias a seguir para se tornar um pensador mais crítico.

1. Resolução de problemas complexos

10013_As10Habilidadesquevoceprecisaraterem2010_FabricadeCursos_topo05No topo da lista, como a habilidade mais desejada para se ter em 2020, está a capacidade de resolução de problemas complexos — definida pelo relatório como a capacidade de “resolver problemas inéditos e mal definidos em contextos complexos e do mundo real”.

Afinal, o que isso quer dizer?

Em síntese, trata-se de ter a elasticidade mental para resolver problemas que nunca vimos antes, além de sermos capazes de resolvê-los em um panorama que se modifica a uma velocidade vertiginosa e que se torna mais complexo a cada minuto!

Em um mundo repleto do que os economistas descrevem como problemas “perversos” — problemas que não são “maus”, mas são considerados perversos porque são quase impossíveis de se resolver devido a condições incompletas, contraditórias ou em evolução permanente (pense em mudanças climáticas, pobreza ou terrorismo) — os solucionadores de problemas complexos estarão em alta demanda.

Segundo informações do relatório, “Nossos entrevistados estimam que mais de um terço (36%) de todos os empregos em todos os setores exija a resolução de problemas complexos como uma de suas principais habilidades”.

Agora, não se preocupe! Isso não significa que você terá de solucionar os problemas do mundo. Ter grande competência para a resolução de problemas complexos é ser capaz de enxergar o quadro geral, focar em detalhes minuciosos e mudar as coisas de lugar para fazer a diferença.

Felizmente, essa não é uma habilidade com a qual alguém nasce. É algo que se aperfeiçoa com o tempo e se constrói sobre uma base sólida de pensamentos críticos e laterais.

Então, como você adquire este Santo Graal de todas as habilidades? De acordo com alguns estudos, as habilidades de resolução de problemas podem ser aprimoradas jogando muitos videogames!
Como o nosso mundo e a força de trabalho continuam a evoluir rapidamente, fica claro que todos precisamos nos desenvolver conjuntamente se quisermos nos manter atualizados com as mudanças. Como Doc Emmett Brown retratou em De Volta para o Futuro: “Para onde estamos indo, não precisamos de estradas!”.

Mas você talvez precise de um roteiro! Então equipe-se com essas 10 habilidades para preparar sua carreira para o futuro.

Este post foi elaborado pela Doceboe localizado para atender países de língua portuguesa.

 

Oba! Workshop 0800 da Fábrica!